Classificação de risco em emergência – um desafio para as/os enfermeiras/os

Lícia Mara Brito Shiroma, Denise Elvira Pires de Pires

Resumo


Estudo descritivo e exploratório de abordagem qualitativa com o objetivo de conhecer a visão das/os enfermeiras/os acerca da implantação do Acolhimento com Avaliação e Classificação de Risco (AACR) em serviços de emergência. Os dados foram coletados através de entrevistas semiestruturadas com enfermeiras/os de um hospital universitário do sul do Brasil. Na voz das/os enfermeiras/os, AACR significa reorganização do atendimento e possibilidade de proporcionar melhor humanização, acesso e resposta satisfatória ao usuário em estado grave. Conclui que o AACR contribui para a agilidade e segurança no atendimento aos usuários e para diminuir a sobrecarga de trabalho da equipe.

Descritores: Humanização da Assistência, Sistemas de Saúde, Políticas Públicas, Acolhimento.

Risk classification in emergency room – a challenge to nurses

That is a descriptive and exploratory study of qualitative approach in order to know the nurses’ point of view about the User Embracement with Evaluation and Risk Classification (AACR) in ER. Data were collected through semi-structured interviews with nurses of a university hospital in southern Brazil. In the voice of nurses, AACR means reorganization of care and to provide a better humanization, access and satisfactory response to the user in serious condition. It concludes that the AACR contributes to the agility and safety in patient care and decrease the workload of the team.

Descriptors: Humanization of Care, Health Systems, Public Policies, User Embracement.

La clasificación del riesgo en el servicio de emergencia – un desafio para los enfermeros

Se trata de estudio descriptivo y exploratorio con abordaje cualitativa con el objetivo de conocer la opinión de las enfermeras sobre la implantación de Acogimiento con la Evaluación y Classificación de Riesgos (AACR) en servicios de emergencia. Los datos fueron recolectados a través de entrevistas semi-estructuradas con enfermeras de un hospital universitario en el sur de Brasil. En la voz de las enfermeras, AACR significa la reorganización de la atención y la posibilidad de proporcionar mejor humanización, el acceso y la respuesta satisfactoria al usuario en estado grave. Se concluye que la AACR contribuye a la agilidad y la seguridad en el servicio al cliente y reducir la carga de trabajo del equipo.

Descriptores: Humanización de la Atención, Sistemas de Salud, Políticas Públicas, Acogimiento.

Referências


Cecilio LCO. Modelos tecno-assistenciais em saúde: da pirâmide ao círculo, uma possibilidade a ser explorada. Cad Saúde Pública. 1997; 13(3):469-78.

Boletim estatístico de atendimentos realizados na emergência adulto do hospital universitário Polydoro Ernani de São Thiago – Universidade Federal de Santa Catarina, 2010.

Mackway-Jones K, Marsden J, Windle J. Emergency triage: Manchester triage group. Massachussets: blackwell publishing, 2006.

Ministério da Saúde (BR). Cartilha da PNH. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

Casate JC, Correa AK. Humanização do atendimento em saúde: conhecimento veiculado na literatura brasileira de enfermagem. Rev Latinoam Enferm, 2005; 13(1):105-11.

Ministério da Saúde (BR). Acolhimento com classificação de risco. Brasília: Ministério da Saúde, 2007. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/default.cfm

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

Rodriguez JM. Emergências. Rio de Janeiro: MC Graw-hill, 2002.

Franco T B, Bueno WS, Merhy EE. O acolhimento e os processos de trabalho em saúde: o caso de Betim-MG. Cad Saúde Pública. 1990; 15(2):121-31.

Pires DEP. A estrutura objetiva do trabalho em saúde. In: Leopardi MT et al. Processo de trabalho em saúde: organização e subjetividade. Florianópolis, ed. Papa-Livros, 1999.

Teixeira RA, Mishima SM, Pereira MJB. O trabalho da enfermagem em atenção primária à saúde: assistência à saúde da família. Rev Bras Enferm. 2000; 53(2):193-206.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285